O coração deseja a eternidade
03/01/2018 - 9h53 em Reflexão

Segundo Váleri Tcherechnev, chefe do comitê sobre Tecnologia e Ciências da Duma de Estado na Rússia, até 2050 os homens viverão em média uns 120 anos. Sua conclusão e de sua equipe é baseada nos cuidados com a saúde e características biológicas dos seres humanos, que avançam e melhoram a cada ano. Reforçando as pesquisas, dia 20/12/17, faleceu em Bauru o senhor José Aguinelo dos Santos com surpreendentes 129 anos!

São notícias que animam e dão esperança, ainda mais quando afirmam que poderão ser anos a mais e com qualidade de vida. Ansiamos por vida, não queremos a morte. O desejo pela eternidade desde sempre habita no coração do homem. Saber o que acontece no chamado “do outro lado da vida” é curiosidade de milhares.

Recentemente foi encontrado um texto milenar em escavações arqueológicas no sul da China que revelou a obsessão do temido Qin Shihuang, o primeiro imperador. Em sua administração ordenou que se encontrasse o elixir da imortalidade. A descoberta não chegou a surpreender os chineses, pois foi ele quem construiu o imenso mausoléu subterrâneo de Xian, no norte do país, com seus oito mil guerreiros de terracota, cuja missão era a de protegê-lo na outra vida. Este verdadeiro exército para proteção após a sua morte foi descoberto em 1974. Sobre o texto encontrado recentemente, a ordem foi nacional, o imperador ordenou a nação inteira a procurar o elixir da vida através de um decreto imperial.

Desejo, dinheiro, poder e vontade, no entanto, nada podem fazer de prático quando o assunto é a morte. Simplesmente ela chega e faz cessar a vida, mesmo que se viva o tanto que viveu o senhor José Aguinelo, 129 anos. Até mesmo o longevo Matusalém conheceu seu limite quando já comemorava 969 anos de vida. Enfim, mais que viver muito, queremos viver para sempre. Porém não queremos viver para sempre no estado atual, dominados por culpa, medo, doença, falência, pecado. Sonhamos com a eternidade sem dor, sem tristeza, sem lágrima, vivendo unicamente no propósito das surpresas que o Pai tem preparado para todos os seus.

2017 vai apagando suas luzes, um novo ano vai chegando e trazendo com ele esperanças e sonhos renovados. A realização depende de vida. Vida em comunhão com o Pai das luzes. Vida submissa a vontade dEle. Vida apaixonada por se relacionar com Ele. Vida que viva para a glória dEle. No evangelho segundo João Ele nos orientou a termos confiança, crendo firmemente que Ele nos preparou um lugar especial na casa do Pai, disse também que uma vez nEle, ainda que a morte seja experimentada nesta vida, Ele ressuscitará os seus para o desejo que não encontra fim nos corações: a vida eterna.

Nos textos encontrados da época do imperador Qin, da China, foi destacada a seguinte informação: “uma localidade chamada Duxiang informou que nenhum remédio milagroso havia sido encontrado, mas insinuava que as buscas continuavam”. “Insinuava” é uma palavra elegante para um imperador que viveu antes de Cristo. Eu diria que passados milênios, as buscas continuam mais que insinuantes, seguem desesperadas por encontrar o elixir da vida. Os que têm fé depois do encontro que um dia tiveram com o Salvador hoje vivem calmos, sossegados, quietos e sabendo para onde vão, já encontraram o “elixir”, seu nome é Jesus! Com Ele, feliz 2018!

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!